A DIGNIDADE DA FAMÍLIA

A palavra dignidade traduz algo que é honrado, respeitoso e que tem valor. Esse reconhecimento precisa ser expresso do teórico para a sua pratica diária. Nada é tão indigno como tornar o que tem honra em apenas algo de menor influência.

Onde está a dignidade da família se na sua vivência ela é tão desprezada? Podemos constituí-la de qualquer maneira? Quem pode nos ajudar a enxergar a sua dignidade e nos mostrar como viver com honra a nossa relação familiar? Como é possível restaurar os laços que já foram quebrados? O que devo fazer para ter uma vida familiar com entendimento e que mostre a sua dignidade?

A grande verdade que temos necessidade de compreender é como a família foi criada e qual o seu objetivo. Dias atrás, conversei com uma pessoa que está vivendo o seu terceiro casamento, e a sua esposa, o quarto. O conhecimento deles hoje é outro em relação à família. Naturalmente, vivem muitas lutas, mas também têm agora princípios bíblicos que os ajudarão a serem vencedores.

A Biblia diz, desde o início: “Disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança. Domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves e sobre os animais que se movem… Criou Deus o homem e a mulher” (Gn 1.26,27). Esse texto expressa algumas verdades da dignidade da família:

• Fomos criados pelo Deus triuno. Alguém majestoso nos fez. Não viemos do acaso. Fomos criados com dignidade e não de um modo insignificante em que foi preciso evoluir de um ser irracional para um homem pensante;

• Fomos feitos não iguais, mas semelhantes a um Deus pessoal, inteligente e amoroso. Ele buscou na Sua criatura uma relação inteligente e de confiança. Se há alguma dignidade em nós como seres vivos é porque fomos criados por alguém muito mais digno, que Se coloca à disposição para um relacionamento espiritual com Ele;

• Fomos criados como família de Deus, com o objetivo de participarmos dos Seus propósitos. No início só eram marido e mulher, mas já com poder para gerar filhos, assim, constituindo a família. A Bíblia é clara em afirmar: “…macho e fêmea os criou”. Não há espaço para outra forma sugerida pelo bel-prazer humano. Uma boa relação familiar vem de uma forma inteligente, amorosa e não a partir de uma vida sexual;

• Fomos feitos para sermos gerentes da Sua criação e não destruidores dos Seus feitos: nós mesmos, animais irracionais e a natureza em geral. Se a criação espelha o Criador, só isso é razão para vivermos dignamente.
Por que estamos sempre renegando a família e desejando outro tipo de relacionamento? Por que a destruímos por nós mesmos? Com certeza daremos contas ao Criador pela nossa vida pessoal e familiar, pois esse foi o plano dele.

A família sempre foi digna, planejada e formada por um Deus perfeito e pleno de amor. Ele tem nela o Seu maravilhoso propósito de Se fazer conhecido a todos nós. Vale a pena valorizar e honrar o que Deus faz, mas o poder de torná-la sem valor está conosco, mesmo que, para Deus, ela sempre seja digna.

:: PR. CARLOS NOGUEIRA MARTINS [ULTIMATO]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *